Silêncio

O silêncio mantém as flutuações do Ser amenizadas, afastadas das do mundo num ascetismo voluntário ainda que momentâneo, para que desde a calmaria brote a ação superior/vertical do Cosmos, ao permitir que o espírito que o abarca (advindo de seu Criador e mantenedor) expanda-se dentro do asceta, tomando-o e elevando-o à contemplação da profundidade eterna encontrada no crepúsculo das ações.

Sendo o padrão de vibração, o qual desdobra-se em som na nossa mente, à unidade básica do movimento, o silêncio é o estado mais aproximado do “nada” no tempo dinâmico, permitindo assim que aquele que neste habite abra-se à ordem do éon superior, este mesmo desde onde surgimos bem como todo emana.

  • Marcelo Jatobá de A. Jr.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s