Fogo

mãos 2

   É no prazer de teu corpo, unido ao meu amor pelo todo que te forma, onde encontro a medida do meu desejo, já perpetrado nas horas por onde se delineiam os mais profundos atos transcritos no tempo e que ardem em meu coração.

O fogo que toma conta de mim não se consome, mas queima e encontrando o combustível que é o meu pensamento em ti, ascende tomando proporções que jamais imaginei poderem tomar. Já não sou mais eu, sou um desejo, sou um querer, sou a reação continua a uma ação perpetrada por algo que se quer entendo, mas que você sabe muito bem como cultivar dentro de mim. Não sou um boneco de ventríloquo, porém admito, sou um estupido refém de meus instintos, represento uma força brutal ajoelhada diante da beleza e do desejo que me consomem, um desejo em te possuir e que só será saciado quando esquentar o meu corpo no teu e ver o reflexo do meu suor em teus olhos serrados e suspiros profundos, para então sentir os espasmos de teu corpo seguidos do delicioso e profundo relaxar numa, agora aquecida, noite de inverno.

© 2017 – Marcelo Jatobá de Araújo Júnior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s